quinta-feira, 29 de abril de 2010

Simplesmente Maria



No brilho de metal oxidado,
do cabelo
o suor lambia-lhe
cansaços,
o relógio de ponto
avança,
sem hora marcada
a máquina não
pára
na rua cinzenta da cidade,
ganha-pão
pão não tem,
o ponto avança
avança o ponto
sem passado
nem futuro,
eles papam tudo
tudo papam
mudam-se os tempos
e não muda nada

…mataram-lhe um sonho
a sangue frio…

7 comentários:

Daniel Aladiah disse...

Querida Conceição
Quantas interpretações... até cheira a 25 de Abril :)
Um beijo
Daniel

Cristiana Fonseca disse...

Profundas e encantadas palavras.
Teus poemas me fascinam.
Bjs

mulher lua disse...

Não cheira, ERA o 25 de Abril.

Veijios

Dr Jekyll VS Mrs Hyde disse...

mudanças são singelas mas mudam a roda da historia.

Hisalena disse...

Palavras profundas, cheias de sentido e de sentimento. Um poema a lembrar as canções de intervenção nos tempos do 25 de Abril...
Muito belo!

...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...

Olá!

Quando morrem os sonhos...já morreram os sentimentos,as esperanças...já morremos nós!!

Um beijo com saudade!

Sonia Regina.

Guacira Maciel disse...

Olá, Conceição,
quanto tempo!...por que isso acontece? a gente vai se distanciando...
Mas dando um passeio nos blogues que me agradam ler, deparei com esse texto seu; sempre a mesma qualidade, beleza e compromisso.

Estou lhe convidando a participar da recém nascida rede que criei www.aranhaseosentidodateia.ning.com

Lá poderá publicar e divulgar seu excelente trabalho, mostrar seus vídeos e fotos preferidos, receber e fazer comentários, ampliando o alcance do seu trabalho e levando qualidade ao espaço.
Beijo e divulgue entre seus amigos. Está aberto a todos.
Obrigada,Guacira.