quinta-feira, 12 de novembro de 2009

adormeço nas brumas do rio...




Ameiga este corpo, débil e cansado,
que se curva sobre o teu leito.

Já não consigo humedecer
o barro com que trabalhei,
a forma escultural do teu ser.

As minhas mãos já não conseguem sentir
a pureza das máculas que as enfraquecem.

Já pertenço ao lamaçal, abraça-me!

Sempre te pertenci sem pertença alguma,
moldei-te, cresci contigo, floresci da terra
e hoje adormeço nas brumas do rio.

4 comentários:

Sonhadora disse...

Lindo poema...gostei muito.
Vou voltar
Bjs
Sonhadora

Multiolhares disse...

Muito bonito, mas...só poderemos pertencer ao lamaçal se assim o sentirmos, ainda rastejando nos podemos elevar
Bjs

Elcio disse...

adorei passear por seu blog.
De norte a sul...rss

Voltarei p chegar mais ao sul.

É isso aí

Bjs e ótimo domingo

Luazul disse...

amanhã acorda com um novo raiar do Sol.
Beijinhos
Gina