quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Retirem-nos estes cadeados



Libertem-me!
Retirem-me estes cadeados,
que se escondem na vergonha
nos meus pulsos de mulher.

Vivo como uma escrava
encarcerada em roupas malditas,
sinto o chão desabar
sobre os meus pés descalços.

Sou um pedaço de carne
que atiram aos cães
quando deixar de ser útil
libertem-me!

Desta libertinagem,
deste país,
onde os homens
nos olham como se fossemos
a maldição.

in Linhas Incertas

7 comentários:

Domonyi Károly disse...

Hi,

Your site is one of my favorites seen around blog explosion. Keep up the good work.
I enjoy reading your blog. It is great to find someone who can find the fun things in life!
I wish you all the best in all years. I look forward to developing a friendship and networking with you.
Take a look at my websites Aries Network in Europe.

With Regards,
Karoly Domonyi
http://www.twitter.com/aries_hu

Ao Sabor da Poesia disse...

Olá querida amiga Conceição

Passando para ler um pouco da sua
bela poesia e para te dizer que o teu
Blog está lindo...Parabéns!

Deixo um beijo no coração

Å®t Øf £övë disse...

Conceição,
Parabéns por mais este excelente poema retirado do teu livro.
Bjs.

Chris disse...

Cadeados que os homens temem em perder a chave...
Parabéns pelo seu espaço
Chris

...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...

Conceição!

É estarrecedor que isto seja a mais pura expressão da verdade.Doloroso,mas muito bem elaborado!

Um beijo!!

Sonia Regina.

Cristiana Fonseca disse...

Olá, quanto tempo não comento em teu bleo blog.
Lindo poema, belíssimas palavras. Tens o dom da escrita.
Desculpe-me a ausência.
Beijos,
Cris

impulsos disse...

Este já o tinha lido no teu livro...
Muito bom, como aliás o são todos os outros também!

Beijo conceição