quarta-feira, 4 de maio de 2011

Canções (só)ciais à moda da casa II – Ò Zé aperta o cinto


(Poema inspirado na canção do Maria Clara “Ò Zé aperta o laço”)


O Zé andava esfarrapado

Remendado, quase nu
Quanto mais atassalhado

Mais se lhe via o cu.

Viu a troika a chegar
Com tesouras afiadas
E o povo a gritar
lá vem as alfinetadas.

Ó Zé aperta o cinto

Ó Zé aperta-o bem
Ó Zé aperta o cinto
Ó Zé aperta-o bem.

Que o cinto bem apertado
Ai, ó povinho fica-te bem
Que o cinto bem apertado
Ai, ó povinho fica-te bem.

Com um cinto tão apertado
e os gases retidos na fonte
deu-lhe um ataque modelado

E Pec’s moles ao monte.

Combinou-se o orçamento
era duro, austero e medonho
E até nesse detrimento

Ele ouviu cantar em povo.

Ó Zé aperta o cinto
Ó Zé aperta-o bem
Ó Zé aperta o cinto

Ó Zé aperta-o bem.

Que o cinto bem apertado
Ai, ó povinho fica-te bem
Que o cinto bem apertado
Ai, ó povinho fica-te bem.

Não existe dois sem três,
Os buracos que o Zé fez
Guarda o cinto, esfomeado
que comprou a um chinês.

Mas o pobre do Josézito

Sempre foi trabalhador

A câmara fez-lhe um manguito

E despediu o varredor.

Ó Zé aperta o cinto

Ó Zé aperta-o bem
Ó Zé aperta o cinto
Ó Zé aperta-o bem.

Que o cinto bem apertado
Ai, ó povinho fica-te bem
Que o cinto bem apertado
Ai, ó povinho fica-te bem.

Conceição Bernardino

2 comentários:

Hisalena disse...

Está tudo dito...de forma acutilante e directa como tu tão bem sabes fazer.
Quem se lixa é o povinho... e quanto a isso nada de novo...
5 estrelas!

Priscila Lima disse...

apreta-se bem o que é de bem!

abraço das conchinhas,
parabéns pelo blog!

visite-nos em nosso espaço
www.conchasbelas.blogspot.com

Priscila Lima