sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

lágrimas de dois gumes


A noite descia suavemente sobre os meus pés dormentes, de tanto caminhar em vitrinas pardas, agasalhadas pela nudez de manequins que se passeavam em suspiros de glamour.
Não conseguia deixar de pensar naqueles corpos entrelaçados uns nos outros, como se fossem heras a trepar pelas minhas pernas febris de desejo em tons verdejantes de seda pura. Tinha fome do meu corpo ou de outro corpo qualquer, que apenas me tocasse com luvas de pelica, delicadas sonatas num negro piano de cauda.
Toquei-me, e, as pautas escritas em folhas brancas deslizavam em gestos harmoniosos o romper da aurora, o prazer aumentava com a mesma fúria das mãos que saciavam o estremecer das teclas, que se rompiam em orgias de cor preta e branca.
Caí num êxtase selvagem de palmas destiladas, deitada num palco onde as cortinas se fecharam num correr purpúreo de incenso mort du petit Jasmin.
Quando acordei as árvores enroupavam o meu corpo desfolhado, estava submersa em lágrimas de dois gumes num banco de jardim.
O tempo tinha-se esquecido da madame coquet…Olhei de novo as vitrinas, não passavam de folhas de jornal amareladas, lacradas por letras crescentes…” Pour la vente”.

6 comentários:

...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...

Quente,forte,lindo e ...doce!!!

Gostei muito!!

Um beijo!

Sonia Regina.

Sonia Schmorantz disse...

Um texto envolvente, maravilhoso!
beijo, ótima semana

Bruno Vieira disse...

Lindo texto.
Obrigado por ser minha seguidora.
Se possivel me faça criticas do que escrevo.eu preciso disso
um beijo.

Carmem L Vilanova disse...

Feliz Dia da Mulher, amiga!
Muitos beijos, flores e lindos sorrisos... sempre!

Pedra do Sertão disse...

Impactante...mas gosto do estilo!

Guacira Maciel disse...

FANTÁSTICO!!!!
Forte, verdadeiro, sem "roupagens" convencionais e falsas...
Gostei, Conceição!
É isso aí, menina!!...manda ver; espõe a nossa humanidade!...
Beijo, Guacira.

PS. Vou te seguir e quero mais...